Resistência garante tricampeonato de londrinenses nas 500 Milhas

0
Postado 26 de novembro de 2018 por bisponeto em Automobilismo
A vitória da 27ª edição da tradicional 500 Milhas de Londrina está novamente nas mãos de pilotos da casa: Aloysio Moreira, Osvaldo Ferreira e Luiz Hernesto Bley Júnior cruzaram a linha de chegada na primeira colocação após 7 horas de corrida, exigindo resistência de máquinas e pilotos, na prova realizada neste sábado (24/11).

A prova começou com supremacia do protótipo Predador da dupla Jair e Duda Bana, vencedores da última edição e pole position da prova em 2018. Porém o carro sofreu diversos problemas durante toda a corrida, sendo obrigado e entrar para boxes algumas vezes. Em quarto lugar na geral o time vinha realizando uma prova de recuperação visando a parte final da corrida até sofrer uma quebra de motor no giro de número 111 e abandonando de vez a prova e chance de Jair alcançar o pentacampeonato das 500 Milhas de Londrina.

O rápido protótipo Cobalt V8 n.º 25 de Ney Faustini e Edras Soares também se acidentou logo no início abandonando a chance de vitória. Constante durante toda a corrida, a Mercedes-Benz n.º 14 da equipe Cordova Motorsport dos pilotos Junior Victorette, Marconi Abreu e Marcelo Karam abandonou depois de 144 voltas por problemas eletrônicos.

O protótipo Spyder n.º 226 da Motorcar Racing guiado por Luciano Borghesi, Mario Marcondes e Claudio Leoni assumiu a liderança da prova logo no começo da corrida, quando o Predador foi obrigado a entrar para os boxes e vinha em um bom ritmo. Porém ainda na primeira hora de corrida perdeu a liderança para o protótipo n.º 38 de Moreira, Ferreira e Bley Jr – mas sem deixar os líderes escaparem, deixando a entender que travariam uma grande disputa até o fim da prova.

Mas coube ao Omega V8 n.º 77 da família Soares guiado por Edras, Esdras e Juarez (pai e seus filhos) travar disputas dignas de uma partida de xadrez e ameaçando a liderança a qualquer erro da equipe Tumiate Competições ou seus pilotos.

Mas mesmo depois de mais de quatro horas de corrida com problemas na barra de direção onde o protótipo n.º 38 foi obrigado a entrar para os boxes e realizar uma solda na peça tirou a liderança e a tranquilidade da equipe. No final o Omega n.º 77 foi obrigado a realizar uma nova parada para manutenção – quando o Spyder n.º 38 abriu na liderança 6 voltas, o suficiente para garantir a vitória.

Aloysio Moreira e Osvaldo Ferreira chegam a terceira vitória na prova (2013, 2014 e 2018) e Luiz Hernesto Bley Júnior torna-se agora bicampeão (1993 e 2018): “É uma emoção muito grande (conquistar a vitória mais uma vez), acreditamos desde o começo e as coisas foram acontecendo. Quando tem que ser, é”, comentou Aloysio Moreira. “O pé quente é mesmo o Osvaldo, pois desde 2015 ele não corre, voltando esse ano e vencendo novamente”, finalizou Moreira explicando sobre o companheiro que desde 2015 estava afastado da prova por problemas de saúde.

O trio mato-grossense que chegou em segundo lugar (além de vencer na categoria II) também mostravam-se extremamente felizes com o resultado, prometendo voltar e buscar a vitória: “Infelizmente não deu esse ano, mas com certeza voltaremos visando a vitória”, comentou o patriarca Edras Soares.

A terceira colocação ficou com o protótipo Spyder n.º 76 da equipe LT Team guiado por José Neto, Marcelo Karan e Beto Borghesi, também vencedores na categoria I. Destaque no começa da prova, o Spyder n.º 226 do trio Luciano Borghesi, Marcio Marcondes e Claudio Leoni cruzou a linha de chegada na quarta colocação na geral, seguidos pelo paraguaio Alejandro Cignetti e do paulista Luiz Abbade.

O VW Gol n.º 30 da Sermann Racing foi o quinto colocado com os pilotos Rodney Grandizoli e Algacir Sermann, à frente do protótipo Spyder n.º 78 de Sergio Martinez, Vander Penques e Antonio Sergio Cardoso. Lutando até o último momento, o VW Gol n.º 83 da 2RH Racing levantou o público ao cruzar na 8ª colocação na geral: sofrendo um acidente devido a pista molhada dos treinos de sexta-feira, o carro guiado por Eduardo Costa, Henrique Moreira e Gustavo Moreira sofreu com muitos problemas durante toda a prova, sendo obrigado a realizarem reparados e até pneu furado nos últimos minutos de prova, mas receberam a bandeira quadriculada com muita honra, mostrando o espírito do endurance.

A nona colocação ficou com a dupla João Weiller e José Carvalho e a simpática Puma n.º 107 e igualmente como a maioria do grid também sofreu com problemas mecânicos, sendo obrigado inclusive a voltar para os boxes rebocado após a perda de uma roda por quebra dos prisioneiros, mas retornou e também recebeu a bandeira quadriculada.

Apesar de uma prova com muitos problemas mecânicos dos participantes, o único acidente que preocupou os presentes foi do Aldee n.º 40 da equipe Semage Racing: com a quebra da suspensão dianteira, André Pardo bateu na saída da curva conhecida como “caixa d´água” danificando muito o carro, porém sem sofrer nenhum problema físico. O time que conta ainda com Admir e Diego Pardo tinha o planejamento de lutar pela vitória devido aos problemas dos demais competidores, mas infelizmente adiaram o sonho para 2019.

Também não terminaram a prova o VW Gol n.º 75 de Marcos Romero, Rodrigo Garcia e Werner Bequegueri (problemas no motor), e os Spyder da LT Team n.º 74 de Edgar Silva, Wenes Carvalho e Mauricio Zetter e n.º 79 de Leandro Totti, Gabriela Totti e José Macedo por quebra da suspensão traseira.

CONFIRA O RESULTADO FINAL DA PROVA:

1.º) Aloysio Moreira/Luiz Bley Jr/Osvaldo Ferreira (C), 262 voltas em 7h00m34s117;
2.º) Juarez Soares/Edras Soares (B), a 6 voltas;
3.º) José Neto/Marcelo Karam/Beto Borghesi (C/A), a 8 voltas;
4.º) Luciano Borghesi/Mário Marcondes/Cláudio Leoni (C), a 11 voltas;
5.º) Alejandro Cignetti/Luiz Abbade (C), a 19 voltas;
6.º) Rodney Grandizoli/Algacir Sermann (F), a 38 voltas;
7.º) Vander Penques/Antônio Cardoso/Sérgio Martinez (C), a 38 voltas;
8.º) Eduardo Costa/Henrique Moreira/Gustavo Moreira (G), a 52 voltas;
9.º) Joao Weiller/José Carvalho (E/D), a 56 voltas;
10.º) Jair Bana/Carlos Eduardo “Duda” Bana (A), a 111 voltas;
11.º) Júnior Victorette/Marconi Abreu/Marcelo Karam (E/B), a 118 voltas;
12.º) Diego Pardo/André Pardo/Admir Pardo (D), a 122 voltas;
13.º) Marcos Romero/Rodrigo Garcia/Werner Berleglieri (G), a 146 voltas;
14.º) Edgar Silva/Wenes Carvalho/Marcos Alfredo (C), a 174 voltas;
15.º) Ney Faustini/Edras Soares (A), a 234 voltas;
16.º) Leandro Totti/Gabriela Totti/José Macedo (C), a 246 voltas.

Melhor volta: n.º35 Jair/Duda Bana na 6ª volta em 1min14s503 (média de 114,190km/h).

A 28ª edição das 500 Milhas de Londrina acontecerão nos dias 23 e 24 de novembro de 2019, e, todas as informações podem ser acompanhadas através do site: www.500milhasdelondrina.com.br, ou também pela Fan Page: facebook.com/londrina500milhas.

Fotos: Vanderley Soares.


0 Commentarios



Seja o primeiro a comentar!


Deixe uma resposta


(obrigatório)