Palio supera Gol novamente

0
Postado 8 de outubro de 2014 por bisponeto em Automóveis
Como o veículo mais vendido do País pelo quarto mês consecutivo, o Fiat Palio fechou setembro. O hatch produzido em Betim (MG) emplacou 15.907 unidades. Completam o “pódio”, Fiat Strada, com 14.225 veículos e Chevrolet Onix, com 13.483 unidades.
Mas o líder de vendas no acumulado do ano, o VW Gol, com 12.583 unidades, encerrou setembro apenas como o quarto mais vendido. Faltando três meses para o fim do ano, o Fiat Palio se aproxima ainda mais do rival, Volkswagen Gol, líder histórico há 27 anos. Com as 3.324 unidades a mais vendidas pela Fiat, a diferença para o Gol foi reduzida a 5.964 carros. Em agosto, ela era de 9.288 veículos. Para “tomar” a liderança do rival, o Palio precisaria vender, pelo menos, 1.988 unidades a mais do que o Gol em cada um dos três meses restantes até o final de 2014.
Ford Ka
Recém-chegado no mercado, o Ford Ka apresentou resultados expressivos no primeiro mês cheio em vendas. O modelo da Ford acabou como o 12º mais vendido, com 7.093 unidades. O compacto ficou na frente até mesmo do “irmão maior”, Fiesta, em 13º com 6.490 veículos e do Volkswagen Up, que vendeu 6.292 veículos, na 14ª colocação.
Outros veículos que passaram por mudanças recentemente também aparecem entre os mais vendidos. O Uno, que ganhou a primeira reestilização, emplacou 8.749 unidades, o que coloca o compacto da Fiat entre os 10 mais vendidos, porém, representa desempenho inferior a agosto, quando foi o 4º mais vendido. E o Fox, que também passou por “facelift”, ficou em 7º lugar, uma posição abaixo do Uno, com 8.470 unidades. Isso representa salto de uma posição no “ranking”.
No acumulado do ano, a produção registra queda de 16,8%, enquanto as vendas mostram baixa de 9,1%. A Anfavea manteve as expectativas para 2014, que tinham sido reduzidas em julho, de projetar recuo de 10% na produção e declínio de 5,4% nas vendas. Em setembro, o estoque de automóveis no país cresceu para 404,5 mil veículos, ante 385,7 mil em agosto. O nível de emprego, por sua vez, encerrou o último mês com queda de 0,8% sobre agosto e declínio de 6,6% sobre um ano antes, para 147.718 postos de trabalho — pior resultado do setor desde maio de 2012.
Ressalvando, por outro lado, que a entidade esperava um resultado de vendas em setembro um pouco melhor, Luiz Moan, Presidente da Anfavea disse: “O Brasil precisa de estímulos para que economia rode. Se não estimularmos o consumo interno, teremos problemas”.

0 Commentarios



Seja o primeiro a comentar!


Deixe uma resposta


(obrigatório)