Salão do Automóvel: 52 anos

0
Postado 18 de outubro de 2012 por bisponeto em Salões
A 27ª edição, que abre as portas ao público na quarta-feira, 24, terá 49 marcas expositoras contra 42 que mostraram suas novidades na última edição, em 2010. Anfavea e Abeiva estimam 750 mil visitantes no Salão. Mesmo volume da última edição, em 2010. O espaço que o Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo, oferece para eventos não aumentou, continua com 85 mil metros quadrados, mas o Salão do Automóvel, realizado no local desde 1970, promete ser o maior dos últimos 52 anos.

Serão exibidos (mostrados), 500 modelos de veículos, 50 a mais do que a última edição, para surpreender mais de 750 mil visitantes, o mesmo volume registrado na exposição de dois anos atrás, apontam estimativas de Anfavea e Abeiva, realizadoras do evento, em parceria com o Sindipeças.

Os números mostram a importância que o Salão de São Paulo ganhou entre montadoras e importadoras de veículos. Tanto que o evento receberá visita exclusiva de presidentes globais de algumas marcas.

Com a crise na Europa, as empresas (montadoras), voltam seus olhos para mercados com potencial para crescimento, como o Brasil. De acordo com o diretor de relações institucionais da Anfavea, Ademar Cantero, a entidade projeta que até 2020 o País alcance volume de vendas entre 5 e 6 milhões de unidades ao ano. “O Brasil é um dos poucos mercados que hoje oferecem esse grande potencial de crescimento. Por isso, o Salão de São Paulo está cada vez mais internacional e faz parte da agenda dos grandes eventos das montadoras, tanto que algumas realizam aqui lançamentos de veículos globais”, disse Cantero.

Ele acrescenta que as perspectivas positivas justificam os investimentos das empresas filiadas à Anfavea, que somam US$ 22 bilhões até 2015, em capacidade de produção, novos produtos e inovação. Este último item, diz Cantero, deve consumir R$ 13,8 bilhões em pesquisa e desenvolvimento até 2017, como resultado das exigências do novo regime automotivo. As empresas membros da Anfavea ocuparão 70% do espaço reservado às montadoras. E as marcas filiadas à Abeiva, que representa as montadoras que não têm fábrica no Brasil, ficaram com os 30% restantes.

Entre as fabricantes que vão expor seus veículos, algumas vêm pela primeira vez ao Salão de São Paulo, como é do caso da Lexus, divisão de veículos de luxo da Toyota, ou RAM, da Dodge, que volta ao evento após longo período. Great Wall é outra novidade, além de empresas chinesas como a Changan, a Haima, e a SsangYong. A maior parte das montadoras adiantará seus lançamentos na segunda e terça-feira aos jornalistas, dias exclusivos para imprensa.

 


0 Commentarios



Seja o primeiro a comentar!


Deixe uma resposta


(obrigatório)