Mondial de LAutomobile 2012 – Paris

0
Postado 1 de outubro de 2012 por bisponeto em Salões
O Salão de Paris primeiro abriu suas portas para a imprensa. E agora para o público. Mas os dirigentes evitam usar a palavra “crise” em seus pronunciamentos, para espantar suas dúvidas e preocupações em virtude da situação econômica vivida hoje pela Europa. A realização do evento não deixa de ser uma retomada de reação num período delicado da história.

Falando durante a abertura do Salão de Paris, Cledorvino Belini, presidente da Fiat do Brasil, falando a imprensa reconheceu que a perspectiva do mercado europeu, à primeira vista, não é boa, mas é preciso tirar um aprendizado dessa situação. “Se a Europa vai mal, a indústria acaba observando o mercado brasileiro com mais atenção”, salientou. “No entanto, se trata de um cenário que será revertido.”

Belini apontou o modelo 500L como o grande trunfo da marca italiana em Paris. “É necessário dar importância aos aspectos positivos de um evento como esse, como as inovações tecnológicas, os trabalhos de “design” cada vez mais aprimorados e por aí vai”, destacou. Mas preocupado, Belini comentou: “Na medida em que o Banco Central dos países europeus injetam euros no mercado para combater a crise, o nosso real fica ainda mais fortalecido. Essa variação cambial compromete nossas exportações”, disse Beline.

Na conferência da imprensa da Renault, o destaque ficou por conta do novo Clio e o brasileiro Carlos Ghosn, presidente da Renault-Nissan, praticamente ignorou as mazelas vividas na Europa hoje. Com fama de pulso firme, Ghosn ressaltou a importância da indústria do Velho Continente não perder a produtividade.  “Para ele, é matar ou morrer”, decretou um executivo da marca francesa. “Ghons usou a mesma linha de pensamento quando assumiu a Nissan, foi criticado, mas tirou a empresa do buraco. Agora, ele não deixará que a Renault fique na beira do abismo.”

Guillaume Couzy, diretor mundial de marketing e comunicação da Peugeot, por exemplo, falou com entusiasmo do Peugeot 208 que, lançado há seis meses, superou as expectativas da marca, com 120.000 unidades vendidas na Europa. Agora, o modelo começará a ser comercializado nos mercados russo, turco e chileno e deverá chegar ao Brasil no primeiro semestre de 2013. “No momento, nosso foco está no 208, mas também  estamos nos preparando para o lançamento do 2008, feito na mesma plataforma e cuja versão definitiva será mostrada no Salão de Genebra, no ano que vem”, afirmou o executivo da Peugeot.

A estratégia da montadora francesa é lançar o “crossover” 2008 na Europa e, em 2014, na China. Couzy não revelou quando ele começará a ser produzido na fábrica da PSA em Porto Real (RJ), mas certamente não passará de 2015. Mas apesar de tudo, o Mondial de LAutomobile 2012  realizado em Paris apresenta novidades interessantes.

 


0 Commentarios



Seja o primeiro a comentar!


Deixe uma resposta


(obrigatório)